13 março 2010

Be_There

1) Concluo agora um ciclo de preparação para o que há de_vir. Jantei entre as árvores de Jessé e o tesouro, entre os monges_modelo a beber cerveja na companhia da revolução omnisciente do pinguim e seu comparsa (isto assim soa a gang de massamá mas é só bem_querer!) e sobrinho e namorado extra_galego. Love calls para nova inspiração sobre a revelação drag dos anos setenta, com John Waters no seu melhor! Divine! Agora é só esperar por dois tribunais de ascensão gradual, um casamento, homenagem escolar ao pai, irmão no seu dia e pelo da progenitora. Ao descer a rua, antes do telemóvel tocar, assobiava isto:


(com toda a excepção dos odores espalhados nesta noite...)

2) Aproveito o facto de poder publicar nestas páginas para anunciar em directo que não deverei estar presente no quarto jantar bloguista. E isto, não por ter medo de me apaixonar - again (até porque continuo...), mas porque é aniversário da senhora minha mãe e sendo eu um filho querido da mamã e não indo visitá-la desde o Natal até à Páscoa, tenho esta oportunidade para a minha descensão de tempo incomum, já que me sacrificarei nesta cidade pelo amor de todos, expondo-me desde a quaresma até ao pentecostes, a quem me quiser creer.

3) Já do_mingo, acordei assim, disposto a meter-me pela história dos passos nesta Masada conquistada aos bracari e assim vendida ao fiel estrangeiro - fiquei a saber que para além do antony, também o zorn tocou aqui a sua regressão - ananás em receita proporcionada, duche de água fria e correr pelos teatros, termas e mosaicos do museu que levou duas décadas na sua montagem... Desculpem o excesso de links mas é como me sinto. Até_já!

P.S.- Também um tempo de muita pregação por aqui...

1 comentário:

pinguim disse...

Também imbuído desse ciclo de preparação para o que há-de vir, adorei o local do repasto, para não falar da companhia, claro, e foram já muitas as recordações e boas as histórias para ir contando...
Mas, na Páscoa será decerto melhor pois conhecerás o Déjan e estaremos a quatro, o que é motivo de muita satisfação, pois ali estávamos irremediavelmente distantes deles, embora muito próximos do que é uma Amizade exemplar.
Obrigado por tudo.
Abraço grande e quero voltar à taberna...