08 setembro 2008

As Coisas V


Mini-Jardim de Cactos / Canas da China: Quando deixei a aldeia para ingressar na faculdade em Lisboa, trouxe comigo uma construção vegetal de cinco pequenos cactos, todos diferentes, num caco de fundo de um vaso grande. Resistiram os cinco anos que vivi na Amadora (na luz da janela da casa de banho) e os dois que estive na Maria Andrade, quarenta e dois, quarto esquerdo (na larga varanda) até que morreram de pois das viagens à américa. De volta à terra, sempre no quarto tive uma cana (eram duas, no início) até que apodreceu este ano – a ausência no alentejo – e a lu me deu uma no seu casamento que agora está ao lado deste écran, no canto da secretária.

3 comentários:

Catatau disse...

O verde persegue-te. Às vezes abandona-te, mas é para ir ali morrer e voltar logo. ;)

Ophiuchus disse...

Com'á esperança... ABRAÇO VERDE

pinguim disse...

Quem tem gatos, não pode ter "verdes". são incompatíveis...
Abraço.